Pensamento do dia:

"Quem não te procura, não sente sua falta. Quem não sente sua falta, não te ama. O destino determina quem entra na sua vida, mas você decide quem fica nela. A verdade dói só uma vez. A mentira cada vez que você lembra. Então, valorize quem valoriza você e não trate como prioridade quem te trata como opção."

Dilma diz que sigilo de orçamentos da Copa foi mal interpretado

sábado, 18 de junho de 2011

17/06/2011 - 14h58

FOHA DE SÃO PAULO
DE SÃO PAULO
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que houve "má interpretação" de um artigo em medida provisória aprovada na Câmara que prevê manter em sigilo orçamentos feitos para as obras da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016.
Governo quer manter em sigilo orçamentos da Copa de 2014
Veja especial sobre a Copa de 2014
Segundo a presidente, a medida é uma prática para conseguir o menor preço para as obras.
"Eu lamento a má interpretação que deram sobre esse ponto. Eu sugiro que as pessoas, os jornalistas que fizeram a matéria, investiguem direitinho junto ao TCU, que leiam a legislação e vejam do que se trata. Em momento algum se esconde o valor do órgão de controle, tanto interno quanto externo", disse a presidente, que participou do lançamento do Plano Agrícola e Pecuário, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.
A presidente se referia ao RDC (Regime Diferenciado de Contratações), específico para os eventos, que teve o texto-básico aprovado na última quarta-feira (15). Com a mudança, não será possível afirmar, por exemplo, se a Copa-2014 estourou ou não o orçamento. A proposta ainda pode ser modificada, pois os destaques ficaram para ser apreciados apenas no fim do mês.
A decisão foi incluída de última hora no novo texto da medida provisória 527, que cria o RDC. "[As medidas] Foram discutidas amplamente pelo governo e pelo TCU."
A presidente ainda disse que o sistema de ocultar o orçamento é utilizado pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e pela União Europeia "para evitar que o licitante, que está fazendo a oferta, utilize a prática de elevação dos preços e de formação de cartel".
Pelo texto atual, só órgãos de controle, como os tribunais de contas, receberão os dados. Ainda assim, apenas quando o governo considerar conveniente repassá-los --e sob a determinação expressa de não divulgá-los.

Edson Silva/Folhapress
A presidente Dilma Roussef durante o lançamento do Plano Safra 2011/2012, em Ribeirão Preto. O evento também teve as presenças do vice-presidente Michel Temer (à esq.) e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin
A presidente Dilma Roussef durante o lançamento do Plano Safra 2011/2012, em Ribeirão Preto. O evento também teve as presenças do vice-presidente Michel Temer (à esq.) e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

0 comentários:

Postar um comentário